“A maldade desse mundo já deu!”, família enterra jovem em Niterói

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Amigos e familiares compareceram no velório. Foto: Enfoco

A despedida de Elias Lima de Oliveira, de 24 anos, aconteceu na tarde desta quinta-feira (25), no Cemitério Maruí, no Barreto, Zona Norte de Niterói. O entregador foi morto nesta quarta, após ser baleado, no Morro do Palácio, na zona sul da cidade.

Centenas de pessoas acompanharam o cortejo emocionadas. Familiares e amigos de Elias impediram a entrada de policiais no velório. A família acusa da PM de ter feito o disparo que atingiu e matou Elias, enquanto, segundo eles, estava trabalhando. O rapaz chegou a ser socorrido no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, mas não resistiu.

O velório contou com homenagens, aplausos e canção gospel. Amigos levaram cartazes com dizeres ‘Elias era trabalhador’ e ‘A favela não pode perder outros Elias. O Palácio pede paz.’

Leonardo Lima de Oliveira, irmão do entregador, aproveitou para cobrar respostas do Estado sobre a morte do irmão.

“Meu irmão já está morto, minha família está destruída. São danos psicológicos e financeiros. Agora eu quero saber: o que o governo vai fazer para a nossa segurança?”

Já a irmã, Elen Lima de Oliveira, estava entre as mais emocionadas: “Destruíram a vida do meu irmão. A maldade desse mundo já deu!”

Quem esteve presente foi a vereadora de Niterói Walkiria Nictheroy (PC do B). Ela mora no Morro do Palácio e comentou o ocorrido.

“O Elias foi baleado mesmo gritando que era morador! Cada vida perdida é a história de uma família inteira que se interrompe. Enquanto o Estado olhar os favelados como números esse genocídio nunca vai parar”

Protesto

Familiares e amigos percorreram as ruas da cidade em protesto após a morte do entregador. Imagens Marcelo Tavares