Bacalhau é o novo patrimômio cultural e imaterial da cidde de Niterói

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
O comerciante Rogério Nascimento, 58 anos, atua em uma peixaria do Mercado São Pedro que vende o bacalhau. Foto: Lucas Benevides

O bacalhau – tipo de peixe específico que passa pelo processo de salga e secura – muito utilizado para os petiscos e pratos charmosos de Niterói, sendo tradição em restaurantes da cidade, foi declarado como patrimônio cultural e imaterial do município. A decisão consta no Diário Oficial publicado nesta quinta-feira (14).

“O produto é adotado como referência para diversos empreendimentos gastronômicos, além de representar muito bem a gastronomia portuguesa e sua enorme comunidade enraizada em Niterói desde sua fundação”, argumenta o autor da lei, vereador Fabiano Gonçalves (Cidadania).

A Semana do Bacalhau também será celebrada de 15 a 22 de novembro de cada ano — mesmo período de comemoração do aniversário de Niterói.

“Além da questão cultural, podemos adentrar na questão econômica e turística, pois atrairá milhares de pessoas para conhecer os pratos e restaurantes mais famosos de Niterói”, celebra Gonçalves.

A prefeitura ainda poderá promover concursos para a escolha do “prato da cidade”, bem como feiras gastronômicas, sempre exaltando o bacalhau. A medida é vista com bons olhos para quem vende o tipo de pescado.

O comerciante Rogério Nascimento, 58 anos, que trabalha na Peixaria Pais e Filhos, dentro do Mercado São Pedro, no Centro, disse que é grande a procura pelo bacalhau na loja.

“O bacalhau é uma de nossas maiores saídas aqui da banca. Todos os dias aparecem pessoas aqui na busca por ele, já que somos um dos poucos que oferecemos esse produto aqui no Mercado do Peixe. Produto de qualidade e com uma história imensa. Quem quiser um bacalhau saboroso e com bom preço é só vir e desfrutar dos nossos produtos”, brincou.