Gritaria e agressão entre policiais e um casal em São Gonçalo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Corregedoria, Agredida, PM, Polícia Militar, 7º BPM, soco, lesão
Dona de casa ficou com um dos olhos roxos por conta de um soco que levou. Foto: Pedro Conforte

Uma confusão entre policiais militares e uma família terminou em agressão na madrugada de segunda-feira (16), na Praça do Barro Vermelho, em São Gonçalo. Nesta quinta, policiais civis da Delegacia de Neves (73ªDP), onde o caso foi registrado, foram até ao local para pegar imagens de câmeras de segurança que tenham registrado o momento em que tudo aconteceu.  

A dona de casa, Camila da Conceição Goes, de 32 anos, acusa ter sido agredida por policiais militares do 7°Batalhão de São Gonçalo, por volta de 5h, quando estava lanchando com a família no local. 

“A gente estava com nossas filhas e um casal de amigos lanchando normalmente, quando chegou uma viatura da PM pedindo para retirar a moto que estava na esquina. Logo em seguida, eles começaram a nos xingar e  jogaram spray de pimenta na gente”, contou.

Segunda a vítima, nesse momento ela foi chamar o marido para tentar ajudar enquanto ele falava com os policiais.

“Ele foi agredido com socos e pontapés, além de terem jogado spray de pimenta também. Eu fui interferir, quando recebi um golpe de ‘voadora’ de um policial. Eu caí e uma policial me deu um soco tão forte que cheguei a urinar na minha roupa. Não satisfeita, ela ainda jogou mais spray de pimenta nos meus olhos”, relatou. 

A dona de casa afirma que as filhas, de 15 e 5 anos presenciaram toda a confusão e estão traumatizadas. 

“Nós vamos precisar de um atendimento psicológico. Eu nunca pensei que pudesse ser agredida por uma mulher e ela sendo policial é pior ainda”

O casal esclareceu que também apresentou denúncia na Corregedoria da Polícia Militar relatando o caso. 

O que diz a polícia

Em contrapartida, policiais que participaram do ocorrido relataram no registro de ocorrência feito na Delegacia de Neves (73ª DP) que, por volta das 5h10, estavam em patrulhamento no local quando se depararam com uma aglomeração de pessoas na praça. Segundos eles [policiais], estavam orientados a dispersar eventos relacionados ao carnaval.

Ainda de acordo com os policiais, uma moto estava parada na via obstruindo a passagem de veículos. Os policiais relataram que foi solicitado ao proprietário que retirasse a moto do local. No entanto, a ordem não foi cumprida e foi dado início a uma confusão generalizada. A PM alega que o homem atirou um objeto que chegou a atingir o rosto de um policial.

Ainda segundo o registro de ocorrência, os policiais alegaram que o homem desacatou e fez ameaças aos militares, além de tentar agredi-los, e por isso foi utilizado o spray de pimenta para dispersar a multidão. 

De acordo com a PM, ele recebeu voz de prisão e resistiu, sendo preciso quase cinco policiais para contê-lo. A polícia afirmou também que a esposa do acusado tentou intervir na ação e foi contida por uma policial feminina. 

O registro de ocorrência foi feito como desobediência, resistência e lesão corporal.