Manchester City vira sobre o PSG no grande jogo da rodada da Champions League

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Gabriel Jesus marcou o gol da virada do City sobre o Paris Saint-Germain. Foto: Reprodução/Redes Sociais

No duelo mais esperado da quinta rodada, o Manchester City venceu o Paris Saint-Germain de virada por 2 a 1, nesta quarta-feira (24), no Etihad Stadium. Os ingleses devolveram a derrota do primeiro turno da fase de grupos e garantiu a classificação às oitavas de final da Champions League.

A primeira grande chance da partida foi dos donos da casa. Aos 5 minutos, em cruzamento na área feito por Mahrez, Rodri cabeceou para o meio e encontraria Sterling, livre, mas Kimpembe chegou a tempo de cortar e evitar o gol. A equipe do PSG ficou pedindo uma falta do lance, mas o juiz mandou seguir.

Em um início de jogo muito acelerado, as duas equipes exploravam os mínimos espaços deixados pelo adversário. Os ingleses abriam as jogadas com Mahrez e Sterling – enquanto os franceses concentravam os esforços nas triangulações entre o trio Messi, Neymar e Mbappé.

O City teve outra grande oportunidade aos 18. Em linda trama armada por Mahrez, Gundögan e Bernardo Silva, a bola chegou para o argelino após passe de calcanhar. Ele finalizou de primeira, da entrada da área, e viu Hakimi salvar de cabeça o que seria um golaço de placa coletivo. A jogada arrancou aplausos de Pep Guardiola.

Os Sky Blues passaram a ter mais a posse de bola, rondando a área do Paris – que assumiu a postura reativa dos contra-ataques. Aos 22, em tentativa de arrancada após roubar a bola, a jovem estrela Mbappé recebeu a falta de Rodri e ficou no chão após choque de joelhos. O árbitro, no entanto, negligenciou o cartão amarelo.

A pressão seguia com jogadas muito bem trabalhadas, sempre em prol da finalização – mas a zaga liderada por Marquinhos seguia evitando o pior com ótimos cortes e bloqueios. O brasileiro foi fundamental em pelo menos duas intevenções: bloqueando chute de Zinchenko e cortando cruzamento rasteiro de Sterling.

Aos 32, mais uma chance clara para o City. Após jogada de linha de fundo, a bola sobrou limpa para Gundögan na entrada da área. De primeira, ele chapou no canto – mas acabou tirando demais e carimbou a trave. Na sequência, aos 33, Mahrez fez bonita jogada individual, cortou para dentro, invadiu a área e chutou no cantinho para grande defesa de Keylor Navas.

O que era um “toma lá, dá cá”, de repente, virou uma blitz dos ingleses. O Manchester percebeu o bom momento ofensivo e aumentou a pressão utilizando o excelente trabalho tático de Guardiola. Envolvido pelas rápidas trocas de passe, a defesa do PSG não conseguia respirar – já que a bola não parava fora do primeiro terço de campo.

A melhor chance do Paris Saint-Germain aconteceu aos 43. Em mais um contragolpe, desta vez puxado por Neymar, o brasileiro avançou em velocidade desde o campo de defesa e deu bela enfiada em profundidade para Mbappé. O francês, no lado esquerdo da grande área, ajeitou o corpo e bateu com efeito, mas exagerou na força e mandou por cima.

Segundo tempo

Após resistir à imensa pressão dos mandantes durante todo o primeiro tempo, o PSG iniciou os 45 minutos finais validando um dos maiores ditados do futebol: quem não faz, leva. Logo aos 4 minutos, Messi tabelou com Herrera, foi à linha de fundo e cruzou à meia altura. A bola cruzou toda a extensão da área e sobrou para Mbappé, que chutou forte e rasteiro, entre as pernas do goleiro Ederson.

O Manchester City, então, voltou à carga no ataque para recuperar o prejuízo. Apesar de ter sofrido com um ou dois contragolpes perigosos do PSG, os Citizens conseguiram igualar o placar aos 17. Jogando com amplitude, Rodri virou o jogo com lindo lançamento para Walker pela direita. O lateral ajeitou para o meio, Gabriel Jesus não conseguiu o domínio e a bola sobrou para Sterling, que tocou de leve empurrando a bola para o cantinho.

A virada quase veio aos 24. Gabriel Jesus invadiu a área e recebeu em profundidade pela esquerda. Ele girou rápido sobre o zagueiro e soltou a bomba, parando em grande defesa de Navas. Com espaço para jogar, o meia Bernardo Silva deixava os companheiros em excelentes condições para criar chances claras de gol.

Apesar de envolvido na defesa, o PSG não deixava de ser perigoso no ataque. Sumido até então, o brasileiro Neymar quase recolocou os franceses à frente do placar. Aos 28, após tabelar com Di Maria na entrada da área, ele passou por três adversários em linda jogada individual, mas errou o alvo ao finalizar de esquerda, mandando para fora.

Os comandados de Pep finalmente conseguiram a virada aos 30. E com gol brasileiro. Em mais uma subida de Mahrez pela direita, o cruzamento perfeito para Bernardo Silva, que apenas ajeitou para trás ao ver a chegada de Gabriel Jesus. O atacante pegou de primeira, bonito, mandando no canto direito de Navas.

O gol, marcado já na reta final do jogão, fez a torcida da casa explodir. Fazendo muito barulho, as arquibancadas do Etihad Stadium pulsavam de alegria pela iminente classificação antecipada – e também pela revanche da derrota para os franceses no primeiro turno.

Apesar das ameaças nos contra-ataques, o PSG mostrou muito pouco futebol – baseando suas chegadas apenas na incrível qualidade individual do elenco, escancarando os problemas no trabalho de Mauricio Pochettino. Já o City de Guardiola, treinador do clube há seis temporadas, não abandonou seu sólido padrão de jogo nem quando perdia o jogo – o que comprova o grande trabalho do técnico espanhol.

Com a vitória, o City chegou a 12 pontos e garantiu o primeiro lugar e a classificação ao mata-mata da competição. Já o PSG estacionou nos 8 pontos, mas também avançou à próxima fase devido à goleada sofrida pelo Brugge, em casa, para o RB Leipzig, por 5 a 0. Os dois vão à última rodada eliminados com apenas 4 pontos ganhos.