Morte, bala perdida e tensão após morte de PM no Salgueiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Durante todo o domingo, moradores da região compartilharam diversos áudios e vídeos através das redes sociais relatando intenso confronto armado entre policiais e traficante. Foto: Marcelo Tavares

Um homem, acusado de envolvimento na morte do sargento da Polícia Miitar, Leandro Rumbelsperger da Silva, de 38 anos, foi encontrado morto, na tarde deste domingo (21), no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Uma idosa, de 71 anos, foi atingida por uma bala perdida no braço esquerdo durante uma troca de tiros entre policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e criminosos no interior da localidade.

De acordo com a Polícia Militar, uma equipe da unidade recebeu a informação de que um dos envolvidos no ataque, que terminou com a morte do sargento, no último sábado (20), estaria ferido no interior do Complexo do Salgueiro.

PM morto no Salgueiro. Foto: redes sociais

Ao entrarem na região para verificar a informação, os militares foram atacados por bandidos e durante buscas em uma área de mata, localizaram e apreenderam duas pistolas, 14 munições calibre 9 mm, 56 munições de fuzil calibre 762, cinco carregadores (02 para fuzil e 03 para pistola), um uniforme camuflado, 813 tabletes de maconha, 3.734 sacolés de pó branco e 3.760 sacolés de material assemelhado ao crack. Segundo a PM, não houve detidos ou relatos de feridos. A ocorrência foi registrada na Delegacia do Mutuá (72ªDP).

Ainda segundo a polícia, por volta das 15h deste domingo (21), uma equipe de socorro foi acionada ao Complexo do Salgueiro por conta de um homem ferido e criminosos armados teriam ordenado a retirada dele do local. Acontece que quando o socorro chegou o ferido já estava morto e foi reconhecido por policiais do Batalhão de São Gonçalo (7ºBPM) como um dos envolvidos na morte do policial Leandro Rumbelsperger da Silva.

Durante todo o domingo, moradores da região compartilharam áudios nas redes sociais relatando intenso confronto armado entre policiais e traficantes. Em alguns deles, residentes relataram medo em meio aos diversos disparos de arma de fogo.

“Gente, nunca ouvi tanto tiro na minha vida. Tá demais. Não tô conseguindo dormir. Que Deus nos guarde”, dizia uma das mensagens compartilhadas em uma rede social.

Relatos de horror

No fim da noite deste domingo (21), moradores revelaram ainda terem encontrado diversos corpos de acusados, que seriam ligados ao tráfico de drogas, em um manguezal na localidade conhecida como Palmeira. Questionada, a Polícia Militar não se pronunciou sobre as denúncias.