Motorista atropela policial e foge do hospital em Niterói

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
A Polícia Civil vai abrir um inquérito para apurar se o condutor do Renault Logan dirigia sob efeito de álcool. Foto: Reprodução

Um homem, de 40 anos, atropelou um agente da Operação Lei Seca, no Centro de Niterói, nesta madrugada de quarta-feira (13). O motorista sofreu ferimentos profundos no rosto, mas após ser levado ao Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI), do Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, fugiu da unidade médica. A informação é da Secretaria de Estado de Governo.

O cabo da Polícia Militar, de 33 anos, que atuava na blitz – sofreu ferimentos leves na região do braço. Ele foi arremessado a uma distância de cerca de três metros, informa a ocorrência registrada na Central de Flagrantes (76ª DP). O agente foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e logo liberado da unidade médica.

A Polícia Civil vai abrir um inquérito para apurar se o condutor do Renault Logan dirigia sob efeito de álcool. Conforme informações apuradas com agentes da blitz, o carro estava em alta velocidade. Os documentos do responsável pelo acidente ficaram sob os cuidados de um amigo, disse a Polícia.

Segundo testemunhas, a vítima estava encostada na viatura da Lei Seca quando o motorista colidiu na viatura da operação, instalada na Avenida Marquês do Paraná, pouco depois de 1h.

O motorista teria perdido alguns dentes e mesmo assim recusou socorro no hospital. Conforme o registro policial, o paciente saiu da Sala Vermelha sem prestar esclarecimentos e teria mentido uma alta médica para o vigilante, sem apresentar qualquer documentação.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o veículo do condutor parcialmente destruído. A parte frontal foi a mais prejudicada.

A coordenação da operação Lei Seca explicou ao Enfoco que o posicionamento da viatura é estudado. E que foi graças a estratégia que o pior não aconteceu, já que a colisão no carro oficial impediu de atingir mais pessoas que estavam no posto.