‘O Tamoio é nosso’: nova manifestação reúne associados em São Gonçalo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Membros da diretoria e associados fizeram mais uma manifestação nesta segunda (25). Foto: Karina Cruz

Cerca de 40 pessoas, entre associados e membros da diretoria, realizaram mais uma manifestação, na manhã desta segunda-feira (25), em frente à sede do Clube Tamoio, em São Gonçalo. É o segundo ato realizado após a posse dos novos proprietários, que arremataram o espaço após um leilão causado por uma dívida trabalhista.

Uma das presentes no evento foi a militar e sócia do Clube Tamoio, Alair Silva, de 58 anos, que demonstrou insatisfação sobre o valor do leilão e revelou saudosismo sobre os anos de alta do espaço, que já foi palco da abertura do Carnaval carioca nas décadas de 60 e 80.

“É triste ter que conviver com a perda de um espaço tão valioso para a cultura do município e isso tudo por conta de interesses de empresários. Temos que reconhecer a importância do Clube Tamoio, não pode tomar isso dessa forma, por um valor tão pífio. O Tamoio é nosso e sempre será”, disse a moradora do bairro Zé Garoto.

No último sábado (23), uma liminar da Justiça proibiu que os novos proprietários do espaço, que são integrantes de um grupo de empresários do ramo cultural de São Gonçalo, destruam qualquer instalação do Clube Tamoio. O clube foi leiloado após uma dívida trabalhista de mais de R$ 1,5 milhão com uma antiga advogada do espaço. Os novos proprietários do clube tomaram posse, na manhã da última quinta-feira (21), após uma decisão da Justiça. O espaço foi leiloado por R$ 2 milhões em ato que teve como objetivo saldar a antiga pendência trabalhista.

A advogada do clube, Karen Peixoto, se reuniu com membros da antiga diretoria, na manhã desta segunda-feira, e afirmou que irá solicitar o cancelamento do arremate em razão do valor menor que o real preço do Clube Tamoio.

“Iremos entrar com essa solicitação e seguimos na luta para enfrentar essa injustiça que vem acontecendo. Esse valor de arremate não condiz com o espaço e a importância do Clube Tamoio para São Gonçalo. Seguimos lutando e vamos em frente”, disse a advogada.