Olavo de Carvalho volta a atacar Foro de São Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Olavo de Carvalho crítica o Foro de São Paulo desde a década de 90. Foto; Reprodução/Youtube

O suposto envolvimento de narcotráfico com o Foro de São Paulo voltou à tona, neste final de semana, diante das acusações feitas pela jornalista espanhola Cristina Ségui. No último sábado (9), a TV Record exibiu a denúncia da jornalista sobre o que seria uma organização criminosa que vive do tráfico de armas, humano e de drogas. A fala reforça a denúncia do escritor e filosofo Olavo de Carvalho, que define o grupo como ‘inimigo número 1 do Brasil’, desde a década de 90.

Em entrevista a emissora, a jornalista ainda declarou que o narcotráfico patrocionou partidos de esquerda na Europa e na America Latina, o assunto ganhou repercussão após a prisão de Hugo Carvajal, ex-chefe dos serviços de inteligência da Venezuela no governo de Hugo Chávez (1999-2013). Ele estava foragido desde novembro de 2019. É acusado pelo governo americano de ter participado de atividades criminosas com a então guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Ainda de acordo com Cristina, durante os três anos em que esteve foragido, Hugo Carvajal teve apoio de empresários de Portugal, e na fuga teria contado também com ajuda do Brasil.

“Carvajal desfruta de todo tipo de luxo. Ele entra no Brasil para operações de cirurgias estéticas sendo apoiado por políticos e personalidades lulistas do Partido dos Trabalhadores (PT)”, informou a jornalista.

Olavo de Carvalho

O perfil do escritor compartilhou a entrevista na rede social Twitter.

“Alguém ainda não percebeu que o Foro de São Paulo domina o Brasil inteiro?”.

Em um vídeo publicado pelo Youtube, há 2 anos, o escritor já reforçava acusações sobre o narcotráfico envolvendo o Partido dos Trabalhadores.

Neste final de semana, Olavo de Carvalho ficou entre os assuntos mais comentados no Twitter, depois de uma jovem publicar um vídeo criticando livrarias brasileiras por não conter obras do escritor e também do jornalista Rodrigo Constantino.

O vídeo gerou repercusão nas redes sociais e internautas relacionaram o vídeo com as falas de Olavo de Carvalho referente ao Foro de São Paulo.

Foro de São Paulo

O Foro de São Paulo é uma organização de esquerda, que reúne mais de 120 partidos políticos de quase 30 países da América Latina e do Caribe. Criado a partir de uma convocatória dos ex-presidentes Lula e Fidel Castro a partidos, movimentos e organizações de esquerda em julho de 1990, a reunião que deu origem ao Foro tinha naquele momento o objetivo de refletir sobre os acontecimentos pós-queda do Muro de Berlim e os caminhos alternativos e autônomos pela visão da esquerda da América Latina e Caribe, para além das respostas tradicionais.

Em nota, o Foro de São Paulo se manifestou sobre a fala da jornalista espanhola.

‘O Foro de São Paulo reúne partidos e movimentos políticos de 27 países da América Latina e Caribe, que defendem a transformação pacífica da região em uma sociedade mais justa para os povos e nações de nosso continente. Foi assim denominado porque sua primeira reunião foi realizada na cidade de São Paulo, em 1990, com o propósito de estimular a defesa da democracia e a participação dos partidos de esquerda nos processos eleitorais de seus países. Desde sua origem, o Foro de São Paulo rejeita a violência na política e em qualquer esfera da sociedade. Não tem e nunca teve qualquer relação com o crime, o tráfico ilegal, grupos armados ou milícias. Defendemos a cooperação internacional, a paz, a integração regional e o multilateralismo. Crime é levantar acusações falsas, sem provas, e difundi-las de maneira irresponsável, como fez a Rede Record neste sábado (9), ao reproduzir entrevista de pessoa processada na Espanha por espalhar fake news contra adversários políticos.’