Pânico: quinto filme mostra que franquia ainda tem fôlego para nova trilogia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Com o lançamento de novos filmes pertencentes a franquias antigas, como Matrix e Caça-Fantasmas, os cinemas vivem um cenário de repetição e falta de originalidade. No meio disso, Pânico (sim, o filme se chama apenas “Pânico” e não “Pânico 5”), o quinto filme da franquia que se iniciou em 1996 chegou nesta quinta-feira (13) com a difícil tarefa em que a maioria das produções têm fracassado: encerrar um ciclo de uma franquia de sucesso e trazer novos ares para uma nova geração.

O novo Pânico mostrará a cidade de Woodsboro onze anos depois dos acontecimentos de Pânico 4 (2011), quando um novo grupo de adolescentes tenta sobreviver aos assassinatos cometidos por um novo Ghostface. Para isso, os jovens contarão com a ajuda de Sidney (Neve Campbell) , Dewey (David Arquette) e Gale (Courteney Cox), protagonistas dos filmes anteriores.

Por que “Pânico” e não “Pânico 5”?

Quem conhece a série de filmes, já está familiarizado com a metalinguagem (ou seja, filme falando sobre filme) presente nela, e é justamente através dessa característica que Pânico se auto explica completamente, além de criticar os próprios erros do passado. Assim, a produção expõe seu conceito de resgatar o passado e preparar um caminho para o futuro, dando pequenas alfinetadas a outras franquias que tentaram fazer o mesmo, mas sem nenhum sucesso, enquanto Pânico não somente consegue, mas também mostra o passo a passo de como fazê-lo, literalmente.

Dessa forma, Pânico paira entre uma continuação e um reboot, sendo os dois ao mesmo tempo e abrindo uma variedade incrível de portas para o futuro da franquia, a qual mostra que ainda tem fôlego suficiente para, pelo menos, mais uma trilogia com os novos personagens.

Pontos positivos

A produção possui diversos pontos positivos, mas os mais aparentes sem dúvidas são o novo elenco extremamente carismático, as cenas de ação, os assasinatos brutais, além de muitas referências dos filmes anteriores, sendo praticamente obrigatório uma maratona de todos os filmes anteriores, para conseguir captar as frases e cenas que saíram diretamente delas. Dessa forma, o Pânico de 2022, sem dúvidas, consegue cativar os fãs mais antigos da saga ao mesmo tempo que conquista a nova geração, ao representá-los maravilhosamente bem nas telonas.

Pontos negativos

Apesar de ser um excelente filme, Pânico passa por alguns problemas, como a escolha óbvia de algumas decisões, algo que pode parecer um tanto preguiçoso, principalmente para um filme cercado de mistérios, fazendo com que o expectador acerte no primeiro chute o que está por vir. Porém, o próprio filme tira sarro disso, deixando mais leve e menos importante o impacto dessas escolhas óbvias.

Entre erros e acertos, Pânico continua se consagrando como um filme de terror único, que segue mostrando que o mais assustador dos monstros não são espíritos ou demônios e sim os seres humanos. O quinto filme da franquia Pânico estreou nos cinemas em 13 de janeiro.