Quadrilha de roubos de cargas na mira da polícia no Rio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Carro utilizado pelos criminosos seria do filho do traficante “Escadinha” morto em 2004. Foto: Divulgação/ PCERJ

Dois criminosos foram presos e um outro morreu após confronto com a Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (25) em São João de Meriti na Baixada Fluminense. Equipes da Delegacia de Entorpecentes (DRE) e da Delegacia de Roubos e Furtos de Carga (DRFC), conseguiram impedir o roubo da carga avaliada em cerca de R$ 100 mil.

De acordo com a Polícia Civil, os agentes através de informações de inteligência conseguiram interceptar o grupo que se dirigia para roubar uma carga de cigarros na Rua Dinorah Silva no bairro Jardim Meriti.

Segundo os investigadores, os dois homens presos na ação são do Complexo da Mangueirinha em Duque de Caxias. Um deles, já era alvo de investigação da Delegacia de São João de Meriti (64ª DP), pela prática de roubo de cargas no município de São João de Meriti em 2021.

O outro preso, conhecido como “Macumbinha”, já possuía diversas anotações criminais, e estava com dois mandados de prisão em aberto por roubos praticados anteriormente. Um terceiro criminoso conhecido como “macaco”, que ainda não foi identificado, acabou ferido em confronto com agentes das especializadas. Ele chegou a ser socorrido ao Hospital Municipal de São João.

De acordo com a polícia, os criminosos utilizavam na ação duas pistolas semi-automáticas calibre 9mm, um simulacro de pistola, uma moto além de um carro para abordagem e transbordo da mercadoria.

Segundo os investigadores, o dono do veículo utilizado pela quadrilha e que ficou com várias marcas de tiros, é filho de José Carlos dos Reis Encina, o traficante “Escadinha”, fundador da Falange Vermelha, hoje Comando Vermelho que chegou a escapar de helicóptero de um presídio em 1985. Ele foi morto em 2004, após ser atingido por diversos tiros de fuzil na Avenida Brasil.

Outros roubos

Além de roubo de cargas a quadrilha também praticava roubos a transeuntes. Em um dos casos, ocorrido em em maio deste ano na Avenida Epitácio Pessoa em Ipanema na Zona Sul do Rio, um casal foi abordado pelos criminosos e teve seus pertences levados. Em outra ação criminosa um turista chileno também foi vítima do mesmo grupo em Copacabana.

De acordo com Marcus Amim, delegado titular da DRE os cigarros roubados pelos criminosos são vendidos para comerciantes.

“Também vai ser objeto da nossa investigação as pessoas que receptam essa carga. Além disso, vale destacar que o cigarro enquanto produto é muito visado pelos criminosos, porque ele é de grande valor, pequena e de fácil transporte. Nessa ocorrência que fizemos, estava sendo feito o transporte de uma mercadoria de quase R$ 100 mil dentro de um carro pequeno”, avaliou.