Filme contará drama vivido por moradores despejados de prédio em Niterói

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
O prédio foi interditado em 2019 e os moradores foram despejados. Foto: Lucas Benevides

O drama vivido pelo moradores que foram despejados do Edifício Nossa Senhora da Conceição, mais conhecido como ‘Prédio da Caixa’, localizado no Centro de Niterói, ganhará uma nova versão: um documentário contará o ocorrido de 2019 sob os olhos de quem perdeu a moradia e os pertences.

Com data de estreia prevista para a próxima sexta-feira (3), a produção leva o nome de ‘Prédio da Caixa’, maneira como a construção ficou popularmente conhecida. O longa começou a ser gravado em 2019, mesmo ano em que aconteceu a interdição do edifício localizado na Avenida Ernani do Amaral Peixoto.

Com uma hora de duração, o filme contará relatos de ex-moradores do local, que relembram os momentos que viveram no lugar e o que ficou após a ordem de despejo. Os entrevistados falam sobre o passado, sonhos e esperanças para o futuro.

A produção exibe imagens que mostram os momentos do despejo e o retorno dos moradores ao prédio para tentar reencontrar seus bens. De acordo com eles, muitos foram retirados como se tivessem invadido o local, sem a possibilidade de retirar nada além da roupa do corpo.

“Eu só pedia para sair viva, foi uma coisa horrorosa, pra mim, foi um terror. Aquele momento ali, pra mim, foi um filme de terror na realidade”.

Raimunda da Silva Gomes, ex-moradora do prédio

Para Artur Moura, diretor da produção, o que motivou a seguir com o projeto foi o estado em que as pessoas foram deixadas. Segundo o cineasta, que já acompanhava a situação desde a interdição do prédio, alguns moradores estão em uma ocupação e outros foram morar nas ruas.

O prédio fica localizado em cima de uma agência da Caixa Econômica Federal. Foto: Arquivo/Plantão Enfoco

“As condições do local para onde os despejados foram encaminhados são completamente degradantes, uma condição sub-humana que aquelas pessoas, homens, mulheres, transexuais e sobretudo crianças, pessoas com deficiências estão passando ainda hoje”, disse.

De acordo com Artur, o principal objetivo é retratar a história a partir do viés de quem sofreu com as consequências do despejo.

“Eu me vi quase que na obrigação de fazer algo. É muito comum a gente caminhar pela Amaral Peixoto e perceber o aumento exponencial da miséria e ali você encontra ex-moradores do ‘Prédio da Caixa’ distribuídos nas ruas. As pessoas estão se degenerando, esperando uma resposta que nunca vai vir”, finalizou.

O filme terá o lançamento oficial no canal do Youtube da produtora 202 Filmes e na plataforma Bombozila.

Notificação da Caixa

No último dia 5, Artur recebeu uma notificação extrajudicial da Caixa Econômica Federal pedindo a retirada da palavra ‘Caixa’ do título do filme.

“Ela [A Caixa] está alegando que eu estou produzindo uma imagem ruim para a Caixa Econômica Federal e que isso está acarretando uma leitura equivocada relacionando o nome da caixa para impedir a veiculação do filme”, explicou o diretor.

Apesar da notificação, o diretor afirma que o nome do filme não será trocado. O Edifício Nossa Senhora da Conceição ficou conhecido como ‘Prédio da Caixa’ por estar localizado em cima de uma agência da Caixa Econômica Federal. E mesmo dois anos após sua interdição, as famílias seguem esperando uma resposta e a questão ainda é discutida na Câmara de Vereadores de Niterói.