Entretenimento

Mostra sobre Nelson Sargento conta com trabalhos de artistas de Niterói

Imagem ilustrativa da imagem Mostra sobre Nelson Sargento conta com trabalhos de artistas de Niterói
Exposição vai contar com 21 artistas, sendo quatro deles de Niterói. Foto: Claudia Martini

Nelson Sargento faria 97 anos no próximo domingo, dia 25 de julho. O baluarte, símbolo da Estação Primeira de Mangueira, morreu no último dia 27 de maio, vítima de complicações da Covid-19, no Rio.

Para homenagear o artista, compositor e poeta, o Espaço Travessia, no Instituto Municipal Nise da Silveira, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio, abre, a partir do dia 26, uma exposição e convida 21 artistas do estado para expor suas obras, quatro deles de Niterói.

Completo, Sargento também era um artista visual. Começou a pintar quadros ainda nos anos 1970 incentivado pelo jornalista Sérgio Cabral. Dotado de muita sensibilidade, transportava para as telas o que vivia: paisagens dos morros cariocas, o samba e seus personagens, tudo rico em cores.

Um de seus projetos era fazer uma exposição de seus quadros comemorando seu aniversário de 97 anos. Partiu antes, mas seu desejo vai ser realizado. Num movimento de ocupação artística de diversas tendências, serão expostas obras de 21 artistas especialmente convidados para essa homenagem em cada galeria do lugar, a maior reservada ao grande mestre.

Esses artistas de alguma maneira dialogam com as obras de Nelson, sejam pelas questões de ancestralidade, negritude, samba, paisagem e vivência nos subúrbios, favelas e periferia. Outras obras conversam com o próprio espaço e com a história do lugar. Nos referimos à Ocupação Artística, porque ela extrapola em muito uma exposição convencional, a começar pelo próprio lugar: as enfermarias de um antigo hospital psiquiátrico no Engenho de Dentro. Marcado não só pela violência, mas também pelas muitas histórias de vida e pela Arte.

O espaço existe há pelo menos cinco anos e vem se tornando uma referência na Zona Norte, construindo um lugar de encontro entre diferentes artes e artistas fora do Eixo Centro Zona Sul e ajudando quebrar preconceitos e estereótipos sobre a chamada “loucura”.

O escultor niteroiense, Rodrigo Pedrosa, foi um dos escolhidos para apresentar seus trabalhos em uma das galerias do local.

"Para mim é uma grande honra poder participar desta homenagem ao Nelson que é um Ícone de nossa cultura. Além disso, o espaço também tem grande relevância na luta antimanicomial que tem sido tão ameaçada neste momento", resumiu.

As obras ficarão expostas e podem ser visitadas das 10h às 17h, de segunda a sexta, a partir do dia 26. O Espaço Travessia, fica localizado na rua Ramir Magalhães, 521, no Engenho de Dentro. Em função da pandemia, as visitas deverão ser agendadas pelo email: [email protected] ou pelo celular: (21)98909-1123.

< Auxílio para nascidos em março é pago nesta terça MP cria força-tarefa para investigar denúncias no Degase <