Esportes

Real Madrid supera Inter de Milão na briga pela liderança do Grupo D da Champions

Imagem ilustrativa da imagem Real Madrid supera Inter de Milão na briga pela liderança do Grupo D da Champions
Toni Kroos marcou o primeiro dos dois golaços da partida. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Real Madrid fez valer o mando de campo para confirmar a liderança do Grupo D da Champions League nesta terça-feira (7). Atuando no Santiago Bernabéu, os merengues derrotaram a Inter de Milão por 2 a 0, com gols de Toni Kroos e Asensio, e avançaram às oitavas de final com o primeiro lugar.

A primeira descida da partida foi dos donos da casa. Modric acionou Vinicius Jr em profundidade pela esquerda. O brasileiro, destaque do clube merengue na temporada, partiu para cima da marcação e chutou colocado buscando o canto esquerdo de Handanovic. A bola foi para fora, mas Vini levantou a galera ao gesticular pedindo apoio ao time.

A resposta não demorou. Aos 3 minutos, Dumfries avançou pela direita e cruzou rasteiro. A zaga cortou mal para a entrada da área e Brozovic chegou chutando forte, de primeira, mas acabou carimbando os defensores. Precisando da vitória para assumir a ponta do grupo, os italianos iam timidamente se lançando ao ataque.

Brozovic arriscou mais uma. Em bate-rebate na intermediária, aos 6, a bola sobrou quicando e ele soltou a bomba de canhota na direção do gol. O míssil subiu e foi descaindo, explodindo na parte de cima da rede, quase acertando o travessão. O lance assustou o goleiro Courtois, que foi pego desprevenido pela finalização.

A Inter começou melhor no jogo. Sufocando a saída de bola e ocupando bem o campo de ataque, os comandados de Simone Inzaghi não davam espaço para a criação do Real com Kroos e Modric. Aos 11, após outra boa jogada, Dumfries cruzou rasteiro da direita e a bola chegou para Perisic, que acabou travado na hora de empurrar para o gol.

Apesar da pressão, foi o Real quem abriu o placar. Na primeira brecha que teve, Toni Kroos recebeu na entrada da área e soltou uma bomba cruzada de canhota, no cantinho dinheiro, sem chances para o goleiro Handanovic. Demonstrando a facilidade de sempre para bater na bola, o alemão tirou os madrilenhos do sufoco no Bernabéu.

Os italianos seguiram pressionando após o gol. Com tabelas rápidas, entrando na área adversária, e bolas paradas, principalmente nos escanteios, os visitantes seguiam sendo muito perigosos diante de uma zaga insegura. Em saída errada de Courtois, a bola chegou para Lautaro Martínez pela esquerda - mas ele acabou travado na hora do cruzamento.

Aos 21, em nova troca de passes na entrada da área, a bola chegou para Lautaro pelo alto. Ele girou o corpo sobre Éder Militão e, sem deixar cair, pegou de primeira, com a perna esquerda, mandando por cima do gol. O sistema defensivo do Real não conseguia acompanhar a velocidade e a fluidez das trocas de passes dos visitantes.

Vencendo o jogo e com a vantagem do empate pela liderança da chave, o Madrid optou definitivamente por jogar nos contra-ataques. Aos 22, em lance puxado por Modric a partir da região central do campo, Vinicius Jr foi acionado pela esquerda novamente, invadiu a área mas acabou se jogando na tentativa de cavar o pênalti.

O empate quase saiu aos 25. Perisic foi acionado pela esquerda, cortou para dentro e cruzou no segundo pau. O centroavante grandalhão Dzeko subiu mais que toda a zaga e, mesmo de costas, conseguiu cabecear para o gol - mas Courtois encaixou com tranquilidade no meio da baliza.

A partir dos 30 minutos, os espanhóis baixaram de vez as linhas para suportar a pressão dos visitantes. Sentindo a insegurança de sua defesa, o técnico Carlo Ancelotti optou por 'fechar a casinha' na tentativa de reduzir os espaços explorados pela Inter.

A retranca era tanta que o atacante brasileiro Rodrygo fechava pelo lado direito e funcionava como um extremo, marcando o perigoso Perisic. A pressão seguiu, mas com mais dificuldades para encontrar os espaços - principalmente por dentro, onde o time de Milão vinha conseguindo tabelas perigosas.

O Real quase ampliou em novo contragolpe. Em lançamento a partir do campo de defesa, Carvajal disparou pela esquerda e esticou para Jovic, que invadiu a área e, cara a cara com o goleiro Handanovic, acabou finalizando na rede pelo lado de fora. A Inter pediu impedimento, mas o lance era normal.

Os minutos finais foram de pressão do Madrid. Em uma blitz inesperada, os donos da casa tiveram pelo menos três chances de marcar - a principal dela com Rodrygo, aos 44. Ele recebeu no meio da área, livre, e chutou colocado, acertando a trave direita em um dos últimos lances de um primeiro tempo bastante movimentado.

Apesar da superioridade, a Inter deixou o campo longe da missão de roubar a primeira colocação. Foram 55% de posse de bola, 13 finalizações contra apenas 7 do Real e seis escanteios contra somente um. No entanto, como futebol não é justiça, os donos da casa foram para o intervalo com a liderança muito bem encaminhada.

Segundo tempo

A Inter mostrou que não desistiria logo no primeiro lance de perigo da etapa complementar. Em contra-ataque rápido aos 2 minutos, Calhanoglu lançou para Barella, que invadiu a área pela direita e ficou em boa condição para finalizar - mas acabou pegando muito embaixo da bola e mandou por cima da meta.

As equipes igualaram as forças e o jogo ficou lá e cá. Aos 9, Vinicius Jr acionou Jovic, que girou e chutou forte para defesa de Handanovic; aos 15, o Real errou na saída de bola e Alexis Sánchez roubou na entrada da área, mas se precipitou e acabou finalizando para fora, sem perigo. A partida ficou corrida e bastante pegada.

Após dividida pela direita, Barella e Militão se estranharam e quase foram às vias de fato. Com auxílio do árbitro de vídeo, o juiz deu o cartão amarelo para o defensor brasileiro e vermelho para o meia italiano - que socou a perna do adversário após ser derrubado no ombro a ombro.

Mesmo após a expulsão, a Inter seguiu tentando pressionar. Aos 23, em avanço pela esquerda, Perisic cruzou para Dimarco que, no primeiro pau, desviou por cima e quase encobriu Courtois. A resposta veio logo aos 25 em dobradinha brasileira: Casemiro lançou para Rodrygo, que invadiu a área pela direita e chutou cruzado, rasteiro, para grande intervenção de Handanovic.

Cansado e com um a menos, o time italiano passou a ser envolvido pelo Real Madrid - que rodava o jogo para desgastar ainda mais o adversário e procurar espaços devido à superioridade numérica. Valentes, os visitantes brigavam por cada dividida e se multipicavam em campo em busca da missão quase impossível.

Mas toda a luta foi interrompida aos 33. Ascensio recebeu na quina da área pela direita, cortou para dentro e mandou um lindo chute na gaveta, acertando a furquilha, em um dos maiores golaços desta edição da Champions League. Com o 2 a 0 no placar, a pouco mais de 10 minutos do fim, a torcida já celebrava a liderança do grupo.

Após matar o jogo, o Real apenas administrou, rodando o jogo e aguardando o apito final para evitar sustos. A equipe espanhola fecha a fase de grupos com 15 pontos - contra apenas 10 da Inter, que passa em segundo lugar. O Sheriff, da Moldávia, grande surpresa desta edição, na terceira posição com 6 pontos, vai à Europa League. A lanterna fica para o Shakhtar Donetsk, com apenas um pontinho.

< Orfãos de idosa morta em assalto a ônibus em SG precisam de um lar Marcelo Queiroga afirma que a decisão sobre passaporte da vacina será interministerial <