Cidades

Famílias ficam desalojadas durante as chuvas em São Gonçalo

Imagem ilustrativa da imagem Famílias ficam desalojadas durante as chuvas em São Gonçalo
Chuvas revelam carências de projetos voltas a melhorias de infraestrutura e urbanismo em São Gonçalo. Foto: Marcelo Tavares

Pelo menos 38 pessoas, de nove famílias, em São Gonçalo ficaram desalojadas por conta das fortes chuvas que caíram na cidade nesta segunda-feira (1º), segundo informou a administração do Capitão Nelson (PL).

Desde a manhã diferentes pontos de alagamento são registrados no município, carente de obras de infraestutura e urbanismo para garantir o escoamento da água. Quatro ocorrências foram registradas no município, por volta das 10h30, com árvores derrubadas devido ao mau tempo. O casos aconteceram no bairro de Itaúna e também no Pião.

Equipes também foram acionadas para alagamentos no Jardim Catarina. Segundo a prefeitura, as famílias que estão fora de suas casas foram encaminhadas à Escola Municipal Professora Aida Vieira de Souza. Representantes das secretarias de Saúde, Assistência Social e Educação foram acionadas para atender famílias, de acordo com o Executivo.

Ainda no Jardim Catarina, uma casa desabou mais cedo ferindo uma mulher, de 60 anos, que precisou ser encaminhada ao Hospital Luiz Palmier (HLP). O estado dela é considerado estável.

Em nota, a Defesa Civil do município reforça que está fazendo vistorias emergenciais e segue monitorando os próximos períodos de chuva na cidade, devido ao estágio de atenção em que se encontra o município.

Maricá

O município está em estágio de atenção por conta das fortes chuvas, desde a tarde desta segunda. De acordo com a Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Maricá não há desalojados ou desabrigados.

Até o início da noite, a Defesa Civil recebeu 12 chamados sobre pontos de alagamentos na Barra de Maricá, Retiro, Bairro da Amizade, Itapeba, Mumbuca, Itaipuaçu e na Serra do Mato Grosso, no limite com Saquarema. As equipes estão nos locais para fazer avaliações de risco nas residências.

Os bairros que registraram maior acúmulo de água nas últimas 24 horas foram Itapeba (60,44 mm), Ponta Negra (59,91 mm), Itaipuaçu (54,15 mm) e Espraiado (49,64 mm). O tempo segue instável no município com previsão de chuva fraca a moderada, e possibilidade de pancadas de forma rápida e isolada. Emergências devem ser comunicadas pelo número 199.

Ajuda

A Cruz Vermelha Brasileira-filial São Gonçalo está pedindo a colaboração de doadores para auxiliar as famílias atingidas pelas fortes chuvas na segunda cidade. Cobertores, colchonetes, roupas de cama e banho, material de higiene pessoal e de limpeza, incluindo vassouras e cloro, além de alimentos e água potável são essenciais neste momento.

O presidente da Cruz Vermelha, Marcio Dias, explicou a atuação da instituição.

"Vários pontos da cidade foram atingidos pelas chuvas intensas dos últimos dias. Toda ajuda é bem-vinda, pois quem conseguir voltar pra casa esta semana ainda estará sem roupas, sem água e sem alimentos, já que tudo foi levado pelas chuvas. Precisamos chegar até os bairros mais pobres, as comunidades mais carentes, aos desabrigados pelas chuvas. Estamos atuando no resgate e iniciando o trabalho de ajuda humanitária que sempre fazemos pelo mundo todo", disse o presidente da filial São Gonçalo.

As doações serão entregues às vítimas de bairros como Jardim Catarina, Palmeiras, Salgueiro, entre outras. Para quem quiser doar, a instituição tem sede no bairro Estrela do Norte, na Rua Presidente Kennedy, em frente ao n° 901, Estrela do Norte, São Gonçalo.

< Combustíveis do Rio já estão entre os mais caros do país Tráfico da Zona Norte do Rio tem prejuízo de R$ 250 milhões <