Cidades

Passaporte da vacina gera polêmica entre clientes e comerciantes em Maricá

Imagem ilustrativa da imagem Passaporte da vacina gera polêmica entre clientes e comerciantes em Maricá
Estabelecimentos estão exigindo passaporte da vacina em Maricá. Foto: Karina Cruz

O passaporte da vacina em Maricá não está sendo aprovado por 100% da população. Nesta sexta-feira (8), comerciantes relataram queda nas vendas, desconforto e desrespeito. De acordo com o decreto, estabelecimentos que comportem mais de 15 pessoas devem exigir a comprovação da vacina. No entanto, entre os comércios da cidade apenas o shopping, academia e lojas ao entorno exigiam a apresentação do comprovante de vacinação. Lojas de rua, incluindo grandes franquias, bancos e restaurantes, não cumpriam a lei.

Para a vendedora de uma loja de informática dentro do shopping, que preferiu não ser identificada, não deveria haver essa exigência.

“Fora a queda nas vendas, cada um tem sua liberdade, temos que ter o direito de ir e vir. Acho um desrespeito com a população, fora que nós, comerciantes, estamos sofrendo com isso, porque nos pegou de surpresa”, relatou.

Além da vendedora, a gerente de uma loja de roupas também ressaltou a queda nas vendas.

“O shopping iniciou a exigência já na sexta-feira passada e desde então notamos uma queda considerável nas vendas, porque as pessoas estão saindo para passear e ainda não tem noção que é necessária a apresentação do comprovante”, informou.

O responsável por uma cafeteria fora do shopping, Jefferson Pinheiro, 29 anos, informou que não exige o comprovante devido seu estabelecimento não atender mais de 15 pessoas ao mesmo tempo.

“Eu sou muito a favor da vacina, inclusive tomei minha segunda dose nesta quinta (7), mas acho que isso tira o direito de ir e vir das pessoas e não se difere da ditadura. Ainda mais agora, já no final da pandemia, com a maioria da população vacinada, acho que não há necessidade“, disse o comerciante.

Entre os consumidores as opiniões não são diferentes. Uma moradora da cidade, que também não quis ser identificada, afirmou ser contra a decisão.

“Eu tô vacinada, mas a vacina nao é 100% eficaz, ou seja, mesmo assim eu posso estar com Covid-19. Isso não garante nada, só atrapalha”, desabafou em tom de revolta.

Uma família, que foi barrada na entrada do shopping por esquecer o comprovante e não possuir no celular também mostrou indignação com a decisão.

“Nós tomamos a vacina, eu só não trouxe. Isso é completamente errado, não podem nos obrigar a nada”, esbravejou um dos integrantes ao sair do local.

Decreto do passaporte da vacina

O passaporte da vacina começou a valer na última sexta-feira (1º) após o Supremo Tribunal Federal (STF) suspender a decisão que havia cassado a exigência do comprovante.

Os estabelecimentos que descumprirem essa determinação (e outros protocolos sanitários presentes no decreto) estarão sujeitos a sanções e multas estabelecidas pela Lei Municipal 2.945/2020, conforme determinado no Inciso V do artigo 2º. As multas podem variar entre R$50 e R$500.

Para comprovação as pessoas devem apresentar certificado de vacinas digital, disponível na plataforma do Sistema Único de Saúde, o Conecte SUS ou o Comprovante (ou caderneta ou cartão de vacinação) impresso em papel timbrado, emitido no momento da vacinação pela Secretária de Saúde de Maricá ou por institutos de pesquisa clínica e outras instituições governamentais nacionais ou estrangeiras.

< Justiça suspende decreto de Duque de Caxias que desobriga uso de máscaras Concurso Miss Universo São Paulo se pronuncia sobre acusação de racismo <