Cidades

São Sebastião: procissão na festa do padroeiro do Rio

Imagem ilustrativa da imagem São Sebastião: procissão na festa do padroeiro do Rio
Dia de São Sebastião é comemorado nesta quinta-feira. Foto: Ascom Rio

No dia dedicado ao padroeiro do Rio, São Sebastião, comemorado nesta quinta-feira (20), não haverá procissão mais uma vez, devido à pandemia de Covid-19. De acordo com programação da arquidiocese da cidade, haverá carreata, que sairá entre as 14h30 e as 15h da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Santa Cruz, zona oeste.

A imagem do padroeiro será levada à Catedral de São Sebastião, no centro da cidade, onde haverá missa solene celebrada pelo cardeal arcebispo dom Orani Tempesta.

Às 10h, o cardeal rezará missa no Santuário Basílica de São Sebastião, conhecido como Igreja dos Capuchinhos, na Tijuca, zona norte, onde haverá celebrações de hora em hora em homenagem ao santo, a partir das 5h até as 19h. Todas as missas serão transmitidas pelo canais da igreja no Youtube e no Facebook, a partir das 6h.

A orientação é que os fiéis cheguem com antecedência, porque será feito controle por ordem de chegada, e as pessoas só poderão assistir à missa sentadas. Não serão permitidas pessoas em pé. A atual capacidade na igreja é de 600 lugares, mas mesmo assim ela será evitada em função da pandemia. Serão autorizadas, no máximo, entre 350 e 450 pessoas nos bancos. A imagem do santo permanecerá durante todo o dia no pátio da igreja.

Imagem peregrina

Como parte da programação da festa de São Sebastião, a exemplo do que ocorre todos os anos, desde 2010, o cardeal dom Orani Tempesta levou, no último dia 10, a imagem peregrina do santo ao Centro Administrativo (Cass) da prefeitura carioca, que leva seu nome. A imagem foi recebida pelo prefeito Eduardo Paes, que a carregou até o local em que foi realizada celebração para marcar a visita.

“É uma bênção o Rio de Janeiro ter um padroeiro como São Sebastião, santo forte, resiliente, lutador, perseverante. O mundo vive momento de muita dificuldade, mas nossa cidade está abençoada por esse padroeiro especial”, saudou Paes.

A trezena em homenagem ao padroeiro começou no dia 7 deste mês, no Santuário Basílica de São Sebastião e, durante 13 dias, a imagem peregrina percorreu vários pontos da cidade. A partir de 2019, junto com São Jorge, São Sebastião é também padroeiro do estado do Rio.

Escultura

A Secretaria Municipal de Conservação preparou um presente para cariocas e turistas. Além da limpeza da escultura do santo católico, o entorno do monumento, localizado na Praça Luís de Camões, na Glória, passou por ações de revitalização.

As equipes da Conservação executaram serviços como a restauração da área reservada para acender velas, pintura de grades, reposição de pedras portuguesas e reforma de bancos e mesas. Também foi instalado um totem com uma placa informativa sobre São Sebastião.

Para a secretária de Conservação, Anna Laura Secco, zelar pelos monumentos é manter viva a história da cidade. “São Sebastião, além de padroeiro do Rio, é um ícone carioca. Sua imagem protege a população e simboliza a força de quem, assim como o soldado romano martirizado e santificado, não tem medo de defender suas crenças”, diz ela.

São Sebastião

São Sebastião foi um soldado cristão, nascido em Narbonne, na França, no século 3, de pais oriundos de Milão, na Itália. Alistou-se no Exército romano em 283 e, por volta de 286, sua conduta branda com os prisioneiros cristãos levou o imperador Diocleciano a julgá-lo sumariamente como traidor e ordenar sua execução por meio de flechas, que se tornaram símbolo constante em sua imagem.

Foi dado como morto e atirado em um rio, porém não havia morrido. Encontrado e socorrido, apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte, em 20 de janeiro de 288. Seu corpo foi resgatado no esgoto público de Roma, limpo e sepultado nas catacumbas.

Com Agência Brasil

< Ídolo do Cruzeiro fecha com o Fluminense até dezembro Engavetamento complica trânsito na Ponte Rio-Niterói <