Entretenimento

Livro de escritora gonçalense vai virar filme

Imagem ilustrativa da imagem Livro de escritora gonçalense vai virar filme
Céu sem estrelas foi lançado em 2018 e aborda questões como saúde mental e autoestima. Foto: Arquivo Pessoal

O livro Céu sem estrelas, da escritora gonçalense Iris Figueiredo, de 28 anos, vai receber uma adaptação para o cinema. A obra, que foi lançada em 2018 e conta a história de Cecília, uma menina gorda que acabou de completar 18 anos e precisa lidar com questões como autoestima e saúde mental, teve seus direitos comprados pela produtora Elo Company e em breve chegará às telas de cinema.

A autora teve o primeiro livro lançado aos 17 anos e afirma que irá participar como consultora na elaboração do roteiro e na escolha do elenco. À equipe do Plantão Enfoco, Iris contou qual foi o seu único pedido na hora de assinar o contrato.

"Para mim, ver o meu livro virar filme vai ser muito emocionante. Uma das coisas que pedi foi que respeitassem ao máximo a descrição física dos personagens, principalmente da Cecília, porque ela é uma menina gorda e isso é importante. É claro que nunca vai ser exatamente igual ao livro, mas foi uma das preocupações que eu tive. Minha condição desde o início foi que as características dos persongens fossem respeitadas, porque faz diferença para a construção dele e para quem está assistindo".

Iris Figueiredo, escritora

Para a escritora, a notícia de que seu livro poderia virar um filme foi uma surpresa, já que a obra aborda assuntos que, comumente, estão distantes das telonas.

"Eu achava que as minhas histórias não tinham esse potencial, não é algo que eu passava muito tempo pensando. Eu acho até que, talvez, por ser uma personagem principal gorda, eu nunca imaginei que fosse interessar alguém, já que alguns temas do livro são questões muito raras de se ver no cinema brasileiro", explica.

A autora é resposável por outros livros de sucesso no gênero infantojuvenil. Foto: Redes Sociais

Céu sem estrelas acompanha o romance de Cecília e Bernardo, irmão da sua melhor amiga, além de mostrar o crescimento deles e as dificuldades da vida adulta, como desemprego, inseguranças, saúde mental e gordofobia. A história mostra os desafios que os dois personagens enfrentam para lidar com um relacionamento em meio aos traumas.

“Uma história brilhante sobre encontrar a sua força mesmo quando não há esperanças. Iris escreve com uma sensibilidade incrível e dá voz aos jovens que vivem a busca constante pelo seu lugar no mundo".

Vitor Martins, autor de Quinze dias

Apesar da euforia dos fãs, que, de acordo com Iris, já sugeriram várias atrizes que poderiam participar do elenco, a produção ainda está no início e sem uma data definida por conta da pandemia da Covid-19. Mas enquanto aguardam os leitores mais ansiosos podem conferir a participação da autora na coletânea 'De repente adolescente', que reúne contos de diversos escritores e foi lançada em junho.

Sobre a autora

Nascida no bairro Nova Cidade, a moradora da Trindade tem outros livros que fazem sucesso no gênero da literatura infantojuvenil, como 'Dividindo Mel' e 'Confissões On-line'. A autora afirma que apesar de estar adorando essa possibilidade de se aventurar no cinema, os seus planos futuros continuam envolvendo livros, que são a sua paixão.

Ainda este ano a obra 'Confissões On-line' será relançada, além disso, ela também pensa na criação de um livro spin-off sobre a história de Iasmin, a melhor amiga da protagonista Cecília.

< Botafogo volta à carga por Lisca Doido; Vasco também tem interesse Presidente e vice da CPI da Pandemia definem investigações no Senado <