Esportes

Besta enjaulada: CR7 marca dois gols e quebra três recordes na Eurocopa

Imagem ilustrativa da imagem Besta enjaulada: CR7 marca dois gols e quebra três recordes na Eurocopa
Cristiano Ronaldo demoliu mais três recordes por Portugal. Foto: Reprodução

A Seleção de Portugal derrotou a Hungria nesta terça-feira (15), na Puskás Arena, em Budapeste, em jogo válido pela primeira rodada do Grupo F da Eurocopa. A partida registrou também mais três recordes batidos por Cristiano Ronaldo, que marcou duas vezes e agora é o maior artilheiro da historia da competição, o primeiro a atuar em cinco edições e o que mais venceu partidas.

A Seleção Portuguesa dominou as ações durante todo o primeiro tempo, mas não conseguiu furar o bloqueio da sólida defesa húngara. Apesar de terem fechado a primeira etapa com 71% de posse de bola, os portugueses não conseguiram criar grandes oportunidades de gol. Foram seis finalizações, sendo apenas duas na direção do gol.

Na principal delas, Bruno Fernandes roubou a bola no campo de ataque, aos 42 minutos, e cruzou da esquerda. A bola, rasteira, passou por todo mundo e encontrou o astro Cristiano Ronaldo, totalmente livre, na linha da pequena área. Ele esticou a perna e conseguiu a finalização, mas mandou por cima do gol, desperdiçando oportunidade incrível para inaugurar o placar.

https://www.youtube.com/watch?v=asWl3lRXGE0

Na segunda etapa, ignorando a grande pressão de um estádio lotado de torcedores adversários, Portugal seguiu rondando a área do goleiro Gulácsi. A Hungria, por sua vez, começou a arriscar alguns contra-ataques - e, aos 20 minutos, já havia finalizado duas vezes na meta de Rui Patricio.

Com pouca criatividade na armação de jogadas, os lusitanos abusavam dos cruzamentos, principalmente com os laterais Semedo e Guerreiro, mas sem objetividade. O técnico Fernando Santos foi muito criticado nas redes sociais por manter o time com dois volantes de marcação, William Carvalho e Danilo Pereira, mantendo boas opções ofensivas no banco, como João Félix, Renato Sanches e Pedro Gonçalves.

O habilidoso atacante Sallai era a principal arma da Hungria, caindo pelas pontas e puxando contragolpes perigosos, tentando aproveitar os espaços deixados por Portugal. O jogador é conhecido justamente pela força e velocidade para puxar os contra-ataques do Freiburg, da Alemanha. Exausto, ele foi substituído a 15 minutos do fim.

A Hungria chegou a abrir o placar aos 34. Schön foi lançado em profundidade pela direita, cortou para o meio e bateu firme de canhota; a bola entrou no cantinho, mas o bandeirinha marcou impedimento - posteriormente confirmado pelo VAR.

Os gols do jogo saíram na reta final. Aos 40 minutos, Rafa Silva cruzou da direita e Guerreiro chutou de primeira. A bola desviou na defesa e acabou enganando o goleiro. Logo na sequência, em pênalti sofrido por Rafa Silva, Cristiano Ronaldo se recuperou ao bater no canto direito e confirmar o triunfo português.

O homem não parou por aí. Aos 47, CR7 recebeu na área, driblou o goleiro Gulácsi e empurrou de pé esquerdo para o fundo do gol. Com 11 gols em Eurocopa, ele é agora o maior artilheiro da competição, deixando para trás o francês Michel Platini, com nove, e o inglês Alan Shearer, com sete.

Ele é também o único jogador a ter disputado cinco edições de Eurocopa e a marcar em pelo menos quatro delas: o português balançou as redes em 2004 (dois gols); 2008 (um gol); 2012 (três gols); 2016 (três gols) e 2020 (dois gols, até então). Além disso, é o primeiro atleta a vencer 12 partidas pela competição europeia, ultrapassando os espanhóis Andrés Iniesta e Cesc Fábregas, com 11 cada.

< Com teaser emocionante, Botafogo convoca anúncio de novo sócio-torcedor Coquetel de anticorpos da AstraZeneca não evita sintomas de Covid-19 <