Cidades

Dia de São Cosme e Damião: pouca procura por doces em Niterói

Imagem ilustrativa da imagem Dia de São Cosme e Damião: pouca procura por doces em Niterói
Algumas pessoas não deixaram a data passar batida e entregaram os kits “Cosme e Damião” para crianças. Foto: Lucas Benevides

Celebrado no dia 26 de setembro pelos católicos e 27 de setembro por adeptos de religiões de matrizes africanas e doutrina espírita, o dia de São Cosme e Damião é marcado anualmente pela entrega de doces e guloseimas. Apesar da pouca movimentação pelos bairros de Niterói, na manhã desta segunda-feira (27), algumas pessoas não deixaram a data passar batida e entregaram os kits “Cosme e Damião” para crianças e adolescentes.

De acordo com o vendedor ambulante Bruno Pessanha, de 35 anos, que estava distribuindo doces, houve pouquíssima busca durante a manhã desta segunda. Por volta das 9h30, ele tinha entregue apenas sete kits na Rua Doutor March, no Barreto, em Niterói.

“Sempre tive o hábito de entregar os doces para crianças e pessoas adeptas da crença. Hoje está muito estranho, pouquíssimas pessoas vieram até aqui para pegar. É uma data muito importante para o mundo religioso, mas que parece estar perdendo a sua força. Vamos respeitar a tradição, não podemos deixar isso cair por terra”, disse o vendedor, que distribui doces próximo a um supermercado da região.

Bairros tradicionalmente conhecidos pela entrega de doces como Ponta D’Areia, Portugal Pequeno e Tenente Jardim, não tiveram grande movimentação de crianças buscando pelos kits. Uma pequena movimentação foi registrada próximo a comunidade do Pumba, no Fonseca, onde a dona de casa Vilma Guimarães, de 68 anos, havia acabado de ganhar um kit após um veículo passar pela entrada da comunidade. Ela ressaltou a importância da valorização da data religiosa e desejou dias melhores para toda a população.

“São Cosme e Damião é tradição. Saudade de ver as crianças ansiosas por essa data, infelizmente hoje tudo é tecnologia. Lembro da minha infância, onde sentávamos na calçada e até brigávamos pelos doces. Hoje em dia, até eu, bem velhinha, consigo pegar meus doces. Acordem, mães e filhos, o mundo não é só telefone celular e computador”, disse a aposentada.

Segundo crenças religiosas, São Cosme e São Damião nasceram na Ásia, eram irmãos gêmeos e médicos que ajudavam pessoas e animais sem cobrar por isso, alcançando grande reputação entre a população. No Brasil, são padroeiros dos médicos e farmacêuticos, considerados protetores dos gêmeos e das crianças. Por esse motivo, as pessoas criaram o costume de distribuir doces e guloseimas, sempre os preferidos dos pequenos.

< Tempestade de areia atinge cidades no interior de São Paulo Arena de futevôlei realiza projeto social na Ponta D'Areia, em Niterói <