Insegurança

Ataques de cachorros mudam rotina de moradores em orla de Niterói

Pessoas foram mordidas na Praia de Itaipu

Ataque de cães em Itaipu
Ataque de cães em Itaipu |  Foto: Péricles Cutrim

Ataques de cachorros abandonados na areia e no entorno da praia de Itaipu, na Região Oceânica de Niterói, mudou a rotina de moradores. O problema se arrasta desde janeiro deste ano.

Segundo relatos, duas pessoas já foram mordidas e precisaram de atendimento médico. Por conta disso, um abaixo-assinado foi criado.

Conforme as denúncias, os animais ficam agrupados em diversos pontos da praia, e próximo ao ponto final de ônibus, na praça de acesso à Vila dos Pescadores.

O construtor civil Adriano Siqueira, de 52 anos, mora no Morro das Andorinhas e costuma passear de quadriciclo na praia. Ele conta ao ENFOCO que em um desses passeios, foi atacado pelos animais.

"Em fevereiro, quando passei na praia, os cachorros me atacaram e quase arrancaram meu dedo fora. Fiquei um bom tempo cuidando do machucado, indo no hospital para tomar vacina. Esses cachorros não são vacinados. A praia foi feita para a gente curtir, não ser mordido por cachorro", desabafa.

A diarista Elizabeth Vieira, de 42 anos, também passou pelo mesmo problema. Ela conta que, em um passeio rotineiro pela praia, foi atacada. O caso gerou um trauma para a vítima.

"Eu costumo fazer caminhada e, hoje em dia, não faço mais porque eu fui atacada pelos cachorros. Quatro cachorros vieram em cima de mim, só não morderam porque pessoas estavam passando na hora e me ajudaram. Tira o nosso direito de ir e vir", diz. 

  • Cachorros ficam espalhados pela praia
    Cachorros ficam espalhados pela praia
  • Algumas pessoas botam comida e água para os animais
    Algumas pessoas botam comida e água para os animais
  • Alguns atacam moradores pela manhã, ao cruzarem o estacionamento da praia
    Alguns atacam moradores pela manhã, ao cruzarem o estacionamento da praia

Outro caso aconteceu com a pensionista Maria Ribeiro, de 69 anos. O filho dela, Rafael Gomes, analista de logística de 32 anos, conta que nasceu e foi criado no bairro. Recentemente, a mãe passou por um susto ao sair para caminhar logo cedo. 

"Minha mãe, moradora de Itaipu há mais de 60 anos, tinha o hábito de ir todos os dias à praia para acompanhar o arrasto dos pescadores, às 5h da manhã. Num determinado dia, ela foi atacada por vários cachorros abandonados na praia", detalha. 

Para tentar se salvar do ataque, ela entrou no mar, mas eles também entram e ela não sabe nadar. Por sorte, um amigo nosso conseguiu chegar a tempo de expulsar os cães e socorrer minha mãe Rafael Gomes, morador

Abaixo-assinado

A ação já conta com 350 assinaturas
A ação já conta com 350 assinaturas |  Foto: Reprodução

Por conta dos ataques, o Rafael decidiu fazer um abaixo-assinado e reunir assinaturas de moradores para tentar chamar a atenção das autoridades e resolver a situação. A ação já conta com 350 assinaturas. 

"Eu comecei esse movimento para chegar até a prefeitura e ver o que pode ser feito para controlar e resgatar esses cães. É uma situação de abandono que deixa a gente refém", pontua. 

Rafael decidiu fazer um abaixo-assinado e reunir assinaturas de moradores
Rafael decidiu fazer um abaixo-assinado e reunir assinaturas de moradores |  Foto: Péricles Cutrim

O morador explica que os ataques, geralmente, acontecem entre às 5h e, depois, a partir das 18h, quando a praia começa a ficar vazia. Ele tentou contatar a gestão municipal para resolver o problema, mas disse que virou um jogo de empurra. 

"Quando a gente levou isso para outros órgãos, falaram que iam promover uma castração e vacinação dos animais, mas isso não trava os ataques.Só porque está vacinado, pode morder?", questiona. 

O que diz a Prefeitura 

A Prefeitura de Niterói explicou, em nota, sobre trabalho educativo de orientação à população em relação ao assunto. 

"A Coordenadoria de Especial de Direitos dos Animais (Ceda) faz um trabalho de educação e conscientização sobre a guarda responsável para que tutores de animais possam saber como cuidar melhor e evitar fugas e ataques de animais. Esse trabalho é feito através de panfletos distribuídos em ações nas ruas da cidade e através de uma cartilha de proteção animal distribuída nas escolas", disse o governo municipal na nota reforçando os cuidados básicos com animais encontrados nas ruas. 

"A Coordenadoria recomenda que, se uma pessoa encontrar um animal bravo, solicite o apoio do Corpo de Bombeiros ou acione imediatamente a polícia para que seja feita a contenção do animal até que o responsável possa chegar e levar o animal em segurança para casa", completou a Prefeitura na nota. 

A Prefeitura de Niterói salientou ainda sobre os serviços públicos oferecidos na cidade. "A Coordenadoria também orienta que todo animal tenha identificação com o nome do tutor e telefone para que em caso de fuga seja prontamente devolvido em segurança. A castração também ajuda cães bravios a serem mais sociais e evita fugas na época do cio da fêmea. A Prefeitura oferece o serviço de castração gratuita em dois locais: o Centro de Controle Populacional de Animais Domésticos (CCPAD), no Horto do Fonseca, e o Centro de Castração da Unidade de Controle Populacional, em Icaraí", finalizou. 

< Vasco volta a vencer e deixa o Z-4 do Brasileirão capa 130524 <