Cidades

Prática de atividades sustentáveis é realizada pelos bombeiros no Rio

Imagem ilustrativa da imagem Prática de atividades sustentáveis é realizada pelos bombeiros no Rio
As iniciativas contam com total apoio do comando da corporação. Foto: Eliane Carvalho/CBMERJ

O quartel do Corpo de Bombeiros na Gávea (25º GBM), na Zona Sul do Rio, adotou práticas sustentáveis que, além de preservar a natureza, reduzem gastos e trazem vantagens para a saúde da tropa. As iniciativas incluem o reaproveitamento do óleo de cozinha, a captação da água da chuva, a compostagem do lixo orgânico, a manutenção de uma horta orgânica e o cultivo de abelhas para a produção de mel. 

"Temos coletado em média 13 mil litros de água por mês, o equivalente a 18% do consumo do grupamento. Com o óleo de cozinha, estamos produzindo sabão. O adubo, feito com a sobra dos alimentos, é utilizado na nossa horta orgânica que produz diversos alimentos. Temos também nosso meliponário, onde cultivamos abelhas sem ferrão que produzem mel para consumo dos nossos militares" destacou o tenente-coronel Renato Grigorovski, comandante do 25º GBM.

A unidade utiliza a água da chuva para abastecimento das caixas dos banheiros e para a limpeza das viaturas. 

"Fizemos uma adaptação na canalização do quartel para armazenar a água captada numa caixa d'água e distribuí-la para as diversas bacias sanitárias do quartel. Dessa forma, além de economizar na conta, contribuímos com a diminuição do nível de água de chuva jogada no sistema de coleta pluvial da rua, evitando futuras enchentes" explicou o oficial.

O reaproveitamento do óleo de cozinha também impacta positivamente o orçamento do quartel, mas é o meio ambiente que realmente ganha com a destinação adequada e sustentável do produto. Atualmente, 90% do óleo usado na unidade é transformado em detergente e sabonete líquido para uso nos banheiros e no rancho, deixando de ser descartado na natureza.

"A economia mensal é pequena perto do benefício que a medida traz para o ambiente. A água é imprescindível à vida, e sua preservação é responsabilidade de todos. Um litro de óleo de cozinha pode poluir cerca de 10 mil litros de água. Algumas estimativas são até mais pessimistas. O descarte inapropriado polui o solo, rios, poços e nascentes. O contato da água poluída pelo óleo com o mar ainda gera gás metano para a atmosfera" disse Grigorovski.

Outro exemplo sustentável desenvolvido pela unidade é o sistema de compostagem com a utilização de minhocas, que dá uma destinação “limpa” para os restos de comida orgânica. O projeto também gera adubo e fertilizante orgânico, que são usados como substrato na horta. 

As iniciativas contam com total apoio do comando da corporação.

"Ações como essa são fundamentais. Além de preservar recursos naturais, melhoram a rotina e a alimentação da tropa, além de servir de exemplo para os próprios bombeiros e para a sociedade" enfatizou o coronel Leandro Monteiro, comandante-geral do Corpo de Bombeiros.

< Jardim Botânico do Rio festeja 213 anos com trilha histórica e exposição Vereador de São Gonçalo liberado para assumir mandato na Alerj <