Polícia

Cerco fechado para influenciador acusado de estupro em Niterói

Imagem ilustrativa da imagem Cerco fechado para influenciador acusado de estupro em Niterói
A pena pelo crime de praticar ato libidinoso com menor de 14 anos é de oito a 15 anos de reclusão. Foto: Arquivo/Pedro Conforte

O Ministério Público do Rio (MPRJ), por meio da 1ª Promotoria de Investigação Penal Especializada Núcleos Niterói e São Gonçalo, denunciou e pediu a prisão preventiva de um influenciador digital por estupro de vulnerável.

A denúncia especifica que, entre os meses de fevereiro e maio deste ano, o youtuber cometeu abusos sexuais contra duas crianças de 10 e 11 anos, por pelo menos quatro vezes, na residência de uma delas, em Niterói.

O youtuber é um conhecido produtor de jogos, assim como “streamer gamer”, jogador que transmite seus jogos pela internet, sendo um famoso apresentador de programa televisivo, onde tinha o apelido de “coach games”.

O influenciador contava com mais de 200 mil seguidores em apenas uma de suas redes sociais, a imensa maioria constituída por crianças e adolescentes, uma vez que os jogos eram voltados para o público infantojuvenil.

De acordo com as investigações, o denunciado, aproveitando-se do seu papel de celebridade, escolhia crianças com idade entre 10 a 11 anos, direta ou indiretamente ligadas ao meio artístico, e invariavelmente de cor branca, cabelos lisos e longos. A aproximação se dava, normalmente, por meio do aplicativo Instagram, fonte de informações sobre as crianças e familiares.

Com relação à vítima moradora de Niterói, o denunciado, por meio do Instagram, passou a comentar as fotografias postadas no perfil da criança, alegando que desejaria conhecer os locais onde foram capturadas as cenas.

A mãe da vítima, sem motivo para desconfiar da idoneidade do famoso youtuber, e por vê-lo invariavelmente acompanhado de crianças nas redes sociais, concordou em aproximar seu filho do denunciado, ajustando com o mesmo hospedá-lo em sua residência e mostrar ao influenciador o trabalho da vítima, abrindo-lhe as portas junto ao meio artístico.

Dessa maneira, o youtuber chegou a Niterói no dia 5 de fevereiro e, nesta e durante as outras três ocasiões em que se hospedou na residência, se fez acompanhar da segunda vítima e de sua mãe, a quem o influenciador conhecia desde outubro de 2020, utilizando-se da mesma tática de aproximação adotada com a primeira vítima.

No quarto da criança, sem os olhares das mães, que achavam que o influenciador realizava brincadeiras lúdicas com as duas crianças, o acusado cometeu os crimes, que consistiam em brincadeiras de cunho sexual, com a prática de abusos.

De acordo com o artigo 217-A do Código Penal, a pena pelo crime de praticar ato libidinoso com menor de 14 anos é de oito a 15 anos de reclusão.    

< Guarda Ambiental de Niterói mais equipada Covid-19: Brasil têm menor média de mortes desde o janeiro <