Investigação

Corregedoria vai investigar policial acusada de matar a irmã, em SG

Caso aconteceu na manhã desse sábado

Agentes da Corregedoria não quiseram falar com a imprensa
Agentes da Corregedoria não quiseram falar com a imprensa |  Foto: Karina Cruz
  

A Corregedoria da Polícia Militar vai abrir uma investigação para apurar a conduta de Rhaillayne Oliveira de Mello, policial do 7° BPM (São Gonçalo), acusada de matar a própria irmã, Rayana Mello, a tiros na manhã deste sábado (2) em um posto de gasolina no bairro Camarão, em São Gonçalo.

Leia+: PM mata irmã e é presa pelo marido em São Gonçalo

Os agentes da Corregedoria chegaram na sede da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) às 12h15. Eles não falaram com a imprensa. A acusada, que foi presa pelo próprio marido, que também é policial militar, prestou depoimento ao delegado plantonista por cerca de três horas.

Familiares e amigos estiveram na sede policial em busca de informações sobre o ocorrido. O pai da acusada e da vítima estava bastante abalado.

Até às 12h50, a policial ainda não havia sido transferida para o presídio da PM no Fonseca, na Zona Norte de Niterói.

Segundo a assessoria da Polícia Militar, uma equipe do 7° BPM (São Gonçalo) foi acionada e constatou o ocorrido. A área foi isolada e agentes da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) realizaram a perícia técnica. 

Ainda segundo a PM, a arma usada no crime foi apreendida.

  • Corregedoria vai investigar policial acusada de matar a irmã, em SG
  • Corregedoria vai investigar policial acusada de matar a irmã, em SG
  • Corregedoria vai investigar policial acusada de matar a irmã, em SG
  
< Desafios marcam rodada do fim de semana dos times cariocas; confira PM mata irmã e é presa pelo marido em São Gonçalo <