Crime

Vereador denuncia ameaça de morte na porta de gabinete em Niterói

O caso foi registrado na 76ª DP (Niterói)

Ameaças estavam na porta do gabiente do vereador
Ameaças estavam na porta do gabiente do vereador |  Foto: Reprodução

Uma ameaça de morte pichada na porta do gabinete do vereador de Niterói, Douglas Gomes (PL), levou o parlamentar a prestar uma queixa na delegacia. O caso ocorreu na última sexta-feira (5) e é investigado pela Polícia Civil.

Na ocasião, o político se deparou com a escrita: "Vai morrer facista", além de ter uma imagem de Jesus Cristo, que estava colada na entrada do escritório, rasgada.

De acordo com Douglas, o crime pode ter sido motivado por intolerância religiosa e política. Isso porque, segundo ele, no dia anterior à ameça, houve um evento da oposição, em favor do aborto e contra a moção de aplausos, em apoio ao projeto de lei que aumenta a pena de morte para quem praticar o aborto.

Leia +: Caso João Pedro: policiais são absolvidos pela morte de adolescente

Leia +: Mulher é encontrada morta dentro de galão na Zona Norte do Rio

Diante disso, o vereador promoveu uma exposição chamada "Cristãos Silenciados", que aborda a perseguição aos cristãos no Brasil e no mundo. A abertura da mostra incluiria um culto evangélico na Câmara Municipal de Niterói.

Ainda segundo Douglas, esses atos reforçam a possibilidade de que as ações foram realizadas com a intenção de intimidá-lo, principalmente em relação às suas posições religiosas e políticas.

Em contato com o ENFOCO, o parlamentar afirmou que esta não é primeira vez que foi ameaçado.

“Desde 2021, venho solicitando via ofício, segurança na Câmara Municipal de Niterói. O local não tem sistema de monitoramento e não há nenhum esquema de segurança no acesso da Casa Legislativa. Eu tenho mais de cinco ameaças registradas por conta do trabalho combativo que tenho feito, mas ser ameaçado dentro do ambiente legislativo é uma afronta não apenas a mim, mas ao Estado Democrático de Direito", frisou Douglas Gomes.

O caso foi registrado na 76ª DP (Niterói), como injúria por preconceito e ameaça. Procurada, a Polícia Civil limitou-se ao dizer que "diligências estão em andamento para esclarecer todos os fatos".

< PF prende acusados de golpe de R$ 10 milhões em Niterói e SG Elas poetas! Professora organiza coletânea literária para Flip 2024 <