Homofobia

Bruna Karla faz declaração homofóbica e é detonada pela web

Afirmação da artista revoltou internautas

Artista fechou os comentários do seu perfil no Instagram
Artista fechou os comentários do seu perfil no Instagram |  Foto: Rede Social
 

Senta aí que lá vem bomba! A cantora gospel Bruna Karla entrou na mira de internautas. Tudo porque um trecho de sua entrevista a um podcast começou a viralizar nesta quarta-feira (15). A artista está sendo acusada de dar diversas declarações homofóbicas sobre o casamento entre pessoas do mesmo gênero. 

Você já pensou viver uma condenação eterna?
 

No bate-papo, em certo momento, a cantora contou que só iria ao casamento de um amigo gay se ele estivesse se casando com uma mulher.

"Teve um amigo que me perguntou: ‘Bruna, quando eu me casar você vai no meu casamento?’ e eu olhei para ele, fui bem sincera e disse: ‘Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou sim’. Estou falando de um amigo, homossexual, que a gente tem essa liberdade, e eu falei que o dia que eu aceitar cantar em um casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a bíblia e sobre Jesus", disse a artista.

Leia +: Britney Spears demite equipe de segurança após falha; entenda

Leia +: Ator Ryan Gosling aparece pela primeira vez como Ken; confira

Leia +: Sergio Hondjakoff se pronuncia sobre vídeos com ameaças; assista

"...Então aos meus amigos, meus queridos ouvintes homossexuais, o que Deus tem para sua vida é libertação, o que Deus tem para sua vida é algo que ele sonhou para você. Receba todo o meu amor, o meu respeito, porque Jesus não sonhou isso para você. Eu falei isso pro meu amigo: ‘amigo, Deus não sonhou isso para você’. Eu fico emocionada, se as pessoas entendessem que é morte eterna, é inferno. Você já pensou viver uma condenação eterna, sem mais solução, para sempre? Terrível", afirma Bruna.

Mas como nada passa despercebido pela web, muitos internautas fizeram questão de demonstrar sua indignação com os comentários da artista, que pode ser visto até mesmo como crime de ódio.

Confira:

< Mais de 300 armas e 50 mil munições são apreendidas no Rio Menina que sonha em ser policial visita batalhão de São Gonçalo <