Cidades

Taxas de ocupação de leitos em SG são as mais baixas desde o início da pandemia

Imagem ilustrativa da imagem Taxas de ocupação de leitos em SG são as mais baixas desde o início da pandemia
Dados epidemiológicos são reflexo direto da vacinação da população. Foto: Marcello Casal Jr - Agência Brasil

Os números do coronavírus em São Gonçalo caíram pelo quinto mês consecutivo. Os números de óbitos, casos confirmados e internações – tanto de enfermaria quanto de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – estão em queda desde abril, quando parte da população começou a receber as segundas doses das vacinas. Apesar de não evitarem o contágio, as vacinas evitam a forma mais grave da doença na maioria dos casos. O resultado reflete diretamente nas internações.

Nesta sexta-feira (8), as taxas de ocupação dos leitos estão em 25% na enfermaria e 38% na UTI – os mais baixos desde o início da pandemia. E a maioria dos internados nas enfermarias são moradores que tomaram apenas a primeira dose das vacinas e na UTI, quem não tomou nenhum imunizante.

Na comparação do mês de setembro com o mês de abril, a queda é de 86,42% nos óbitos, 65,5% nos casos confirmados, 63,54% nas internações nas enfermarias e 52,67% nas internações nas UTIs. Foram 501 óbitos em abril e 68 em setembro; 8.267 casos confirmados em abril e 2.852 em setembro; 299 pessoas internadas nas enfermarias em abril e 109 em setembro e, por último, 112 pessoas internadas na UTI em abril e 53 em setembro. Em relação às internações em geral, a queda é de 60,58%. Foram 411 internações em abril e 162 em setembro.  

Na contramão da queda dos números da doença, os vacinados e imunizados na cidade só crescem. Já são 77,58% da população com mais de 12 anos vacinada com a primeira dose – um total de 723.647 moradores dos 932.664 elencados pelo Ministério da Saúde. E 77,88% da população com mais de 18 anos – 663.835 de um total de 851.886 gonçalenses (população estimada de 424.052 mil pessoas de grupos prioritários e 427.834 da população em geral).

Se for levar em consideração a população em geral, excluindo os grupos prioritários, o alcance de vacinados é de 88,7%. São 379.805 pessoas vacinadas. Os imunizados (aqueles que já tomaram as duas doses ou dose única) são 57,67% da população com mais de 18 anos, já que os adolescentes não começaram a receber a segunda dose.

“A população deve manter as medidas sanitárias de isolamento social, higienização das mãos e uso de máscaras, já que a imunização só acontece após 14 dias da aplicação da segunda dose da vacina e não evita o contágio, mas a forma mais grave da doença. Estamos vencendo a Covid-19, mas não podemos relaxar. E pedimos a todos com mais de 12 anos que ainda não se vacinaram para ir aos pontos de vacinação. É muito importante. Muitas vezes, é questão de manter-se vivo”, disse o secretário municipal de Saúde e Defesa Civil de São Gonçalo, Dr. André Vargas.  

Rio de Janeiro

Pela terceira semana seguida, o risco de transmissão de Covid-19 no município do Rio de Janeiro está moderado, com todas as áreas da cidade em amarelo. É o que aponta o 40º Boletim Epidemiológico Covid-19 do Rio, divulgado nesta sexta (8) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A partir desde mês, a SMS fará entrevistas coletivas para apresentar os dados a cada duas semanas, no lugar de todas as sextas-feiras, como realizado desde janeiro.

O boletim mostra também que se mantém a tendência queda nos casos de Covid-19 e nos atendimentos na rede de urgência e emergência por síndrome gripal e síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Desde março de 2020, o município soma 486.607 casos de Covid-19, com 34.260 óbitos.

Eventos-teste

Foram realizados até o momento nove eventos testes autorizados pelo Instituto Municipal de Vigilância Sanitária (Ivisa). Para entrar nesses eventos, todos os participantes, tanto público como trabalhadores, precisam estar vacinados e com o teste negativo para a Covid-19.

Segundo a SMS, nos três eventos-teste que já completaram o prazo de 14 dias para monitoramento do público presente, a taxa de incidência de casos do novo coronavírus é no máximo seis vezes menor do que a incidência da doença no município para o mesmo período analisado.

No jogo Flamengo e Grêmio, em 15 de setembro no Maracanã, entre os 7.652 torcedores testados, apenas 0,9% apresentou resultado positivo e não pôde ingressar no estádio. Após as duas semanas de acompanhamento do público, foram registrados dez casos suspeitos de Covid-19 e um deles foi confirmado. Todos tiveram sintomas leves, quatro tinham completado seu esquema vacinal e seis tinham tomado apenas a primeira dose.

No jogo Vasco e Cruzeiro, em 19 de setembro em São Januário, 1,1% dos 549 torcedores testaram positivo e nenhum caso suspeito foi reportado durante os 14 dias seguintes.

Na partida entre Flamengo e Barcelona de Guayaquil, em 22 de setembro no Maracanã, entre os 26.478 torcedores, 0,2% do público testou positivo. O monitoramento identificou 25 casos suspeitos e nove confirmados para a covid-19, todas com sintomas leves e 47% tinham o esquema vacinal completo.

Vacinação

Os painéis de vacinação no município indicam que 85,7% da população total do município já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e que 57,6% completaram o esquema vacinal com as duas doses da CoronaVac/Butantan, AstraZeneca/Fiocruz ou Pfizer/Biontech ou a dose única da Jansen.

Entre a população alvo, a partir dos 12 anos, 99,2% recebeu a primeira dose e 67,3% está com a imunização completa. A dose de reforço nos idosos e em pessoas com alto grau de imunossupressão foi aplicada em 262.785 pessoas.

Esta semana a SMS acelerou a aplicação da dose de reforço e vacina hoje as pessoas de 72 e 71 anos. Amanhã, a repescagem é para quem tem 71 anos ou mais.

Com Agência Brasil

< Escolha de diretores escolares de Niterói é alvo de denúncia no MP Prefeitura do Rio altera decreto e muda regras sobre público nos estádios <