Cidades

Liberado início das obras no calçadão de Piratininga, em Niterói

Publicado às 18h42. Atualizado às 20h54.

Imagem ilustrativa da imagem Liberado início das obras no calçadão de Piratininga, em Niterói
Conclusão das obras está previsto para quatro meses após início. Arte: Divulgação

O prefeito de Niterói, Axel Grael, assinou nesta quinta-feira (20) a ordem de início das obras do calçadão de Piratininga, na Região Oceânica. A iniciativa acontece quase seis anos após inúmeras tentativas de revitalizar o espaço, castigado por ressacas.

As obras começarão nesta segunda-feira (24) e irão acontecer entre as ruas Jornalista Umbelino Silva e João Gomes da Silva. O prefeito prevê a conclusão em quatro meses e o projeto tem um investimento de R$ 7,8 milhões. De acordo com Grael, a obra servirá com o forma de proteção contra as ressacas da praia.

"Essa é uma obra muito esperada que trará solução definitiva para proteger o local das fortes ressacas que ocasionaram a diminuição da faixa de areia, através da tecnologia inovadora de contenção com cortina atirantada e estacas hélice. Tudo foi desenvolvido com muito planejamento, como é caso do estudo feito pelo PRO Sustentável sobre a dinâmica costeira, com ênfase na solução estrutural para conter os fenômenos que causam a erosão da praia e os eventos de desabamento do calçadão da Praia de Piratininga durante as ressacas."

Ainda segundo Grael, o projeto também inclui paisagismo nas áreas do calçadão, além da construção de mais um posto salva-vidas, que pretende seguir os moldes dos que já existem na Praia de Piratininga.

A coordenadora do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável), Dionê Castro, explicou que essa obra do calçadão é uma entre outras intervenções que serão realizadas na Praia de Piratininga.

"Realizamos um estudo de mais de um ano para darmos uma solução para a Praia de Piratininga, que periodicamente sofre com ressacas. Esse estudo apontou que a melhor decisão técnica e econômica é a implantação da reposição do estoque de areia na Praia de Piratininga. Será feito um muro de contenção até que se recupere toda a faixa de areia. É um trabalho bem estruturado, com uma estrutura moderna."

Antiga reinvidicação

Calçadão já sofreu com as ressacas do mar há anos. Foto: arquivo

A revitalização do calçadão de Piratininga já é uma necessidade antiga em Niterói. Em 2018, ainda durante mandato do ex-prefeito Rodrigo Neves (PDT), a prefeitura abriu uma licitação em busca de empresas interessadas na obra. O objetivo era recuperar a estrutura que, corriqueiramente, acabava destruída pela ação do mar. Desde 2016, há um planejamento para a reconstrução.

Em novembro de 2020, a Prefeitura abriu concorrência para as obras no calçadão de Piratininga, mas o processo recebeu vários recursos devido ao aumento do valor do aço em função da pandemia. Isto resultou na anulação da licitação. O edital foi refeito e o resultado publicado no Diário Oficial em janeiro.

A obra estava prevista para abril de 2021. No entanto, apenas agora foi decidido o certame. Segundo o Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável), a iniciativa consiste em recuperar parte da orla, totalizando uma extensão em torno de 300m. O desnível entre o calçadão e o nível atual da areia da praia, no trecho estudado, varia de 2m a 3,5m.

Por causa dos fenômenos de marés e ressacas, as estruturas presentes na orla da praia foram danificadas diversas vezes, apresentando sinais de instabilidade e oferecendo risco à população. De acordo com o PRO-Sustentável, a solução consiste na implantação de cortina atirantada, com aproximadamente quatro metros de altura, e estacas hélices secantes.

Além da medida, em busca de evitar novos prejuízos relacionados à ressaca, a implantação de recifes artificiais foi um tema debatido na Câmara Municipal em novembro de 2021. O inicío das obras do calçadão e a criação de um recife artificial ainda são temas debatidos após a forte ressaca que destruiu o calçadão em 2011. Desde então, quando o mar fica agitado, há danos nas estruturas.

< A luxuosa mansão do 'Chico Bento' no alto do Jacarezinho, no Rio Ataque a tiros na porta de boate no Rio deixa três mortos <