Cidades

Preço nas alturas: material escolar tem elevação de até 105% em Niterói

Imagem ilustrativa da imagem Preço nas alturas: material escolar tem elevação de até 105% em Niterói
O consumidor poderá usar o levantamento de preços para economizar nas compras. Foto: Ascom Procon RJ

O Procon Estadual do Rio de Janeiro realizou levantamento de preços dos principais itens que compõem a lista de material escolar. A pesquisa coletou os preços de 415 produtos em 32 estabelecimentos, localizados na Regiões Metropolitana, Serrana e dos Lagos, Norte e Sul Fluminense e também na internet.

A coleta e a análise de dados foram feitas entre os dias 10 e 19 de janeiro. Os servidores identificaram variação de até 297% quando comparado o produto de igual marca em diferentes estabelecimentos.

Variados tipos de lápis, apontador, borracha, caderno, caneta, cola, hidrocor, lápis de cor, giz de cera, massa de modelar, resma de papel ofício, tabuada, tesoura, corretivo, dicionário e agenda escolar foram pesquisados.

"O levantamento de preços realizado pelo Procon-RJ mostra que se o consumidor pesquisar, ele consegue economizar muito na compra da lista de material escolar. Reaproveitar itens do ano anterior também é uma boa forma de gastar menos. É importante lembrar que a instituição de ensino só pode solicitar itens de uso individual do aluno ou que sejam utilizados em atividades previstas no plano pedagógico", observou o presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho.

Região Metropolitana

Na capital, o item que teve a maior variação percentual de preço foi a tesoura sem ponta. O produto de mesma marca oscilou até 272%. O caderno de 96 folhas foi encontrado por R$5,90 e também por R$16,00, uma diferença de R$10,10. A caneta é outro material escolar que está no topo do ranking, com variação de 266%.

Em Niterói, dependendo da papelaria que o consumidor for comprar o apontador, ele pode pagar mais do que o triplo do valor, já que o mesmo produto foi encontrado por R$2,20 e R$7,90. O giz de cera foi outro material que teve grande variação percentual de preço de até 105%.

Os moradores de Nova Iguaçu precisam ficar atentos onde comprar a lista de material. Lápis, apontador, dicionário, caderno pequeno e lápis de cor foram encontrados com variação acima de 100%, chegando a 251% no apontador. Diferença significativa de preços também foi identificada no caderno de 10 matérias com 200 folhas que é vendido por R$24,90 e R$12,99 em diferentes lojas.

Região Serrana

Na Serra, a pesquisa foi realizada no município de Nova Friburgo. A borracha teve variação percentual de 118%, enquanto a cola, 35%. O consumidor que comprasse a tabuada em uma loja, poderia pagar o dobro ao optar por comprar o mesmo item em outro estabelecimento. Já o conjunto de caneta hidrocor, era vendido por R$9,99 e R$4,49 em diferentes papelarias.

Norte Fluminense 

Três cidades da região Norte Fluminense foram pesquisadas: Campos, Macaé e São João da Barra. Em Campos, o lápis oscilou 178%, enquanto a caneta e o apontador, 83% e 170% respectivamente. A caixa com 12 lápis de cor da mesma marca foi encontrada por R$32,90 e R$18,90 em lojas distintas.

Em Macaé, a maior variação percentual encontrada foi de 179% no caderno com 200 folhas. Já o preço do caderno pequeno com 96 folhas oscilou 87,78%. Se o consumidor comprar o conjunto com 12 lápis de cor em uma papelaria e não em outra, pode economizar R$13,75.

Os moradores de São João da Barra vão encontrar diferença significativa de preço na borracha, no caderno de 200 folhas e na caixa com 12 giz de cera. A variação de preços desses itens foi de 167%, 89% e 87% respectivamente.

Sul Fluminense

Em Barra do Piraí, a oscilação dos preços da caneta e do apontador foram muito parecidas, 278% e 273%. O corretivo líquido pode ser mais do que o dobro do preço em uma papelaria do que em outra. Já a resma com 100 folhas ofício foi encontrada por R$6,90 e R$4,10.

Região dos Lagos

O município pesquisado na Região dos Lagos foi Cabo Frio. O item que teve maior variação percentual foi o corretivo líquido, que chegou a ser 193% mais caro em um estabelecimento do que em outro. A agenda veio em seguida, com oscilação de até 149% e em terceiro foi o lápis, com 109%. O morador do município poderia economizar mais de R$9,00 dependendo da papelaria que efetuar a compra do lápis de cor.

O Procon-RJ ressalta que todas as comparações de preços citadas foram feitas em relação aos produtos da mesma marca. Destaca ainda que nem todos os itens foram encontrados em todos os estabelecimentos verificados. Este levantamento é um retrato da ocasião em que foi realizada a pesquisa e não há a garantia de que o consumidor irá encontrar os mesmos preços no momento em que for realizar a compra. A coleta e análise de dados foi feita entre os dias 10 e 19 de janeiro.

Sites

Os consumidores que fizerem a pesquisa de preço em sites antes de finalizarem a compra pela internet vão conseguir fazer uma boa economia. O mesmo caderno de 10 matérias com 200 folhas foi encontrado por R$39,99, em uma loja virtual, e por R$22,30 em outra, uma oscilação de 79%. O apontador teve uma variação de preço de 297%, enquanto a massa de modelar, 149%.

O mesmo caderno de desenho grande foi encontrado por R$19,99 e R$8,90. Já a resma com 100 folhas ofício, os agentes constataram os valores de R$8,77 e R$4,20, oscilação de 109%.

< Crimes de intolerância religiosa crescem no Rio de Janeiro Assalto termina prisão na Região Oceânica de Niterói <